5

CENTRO SOCIAL GOMES GAIOSO: Rúa Marconi 9 (A CRUNHA)

Publicado el 13 noviembre, 2017 | Locales
1
Chamar 676 75 81 64
Información
Centro social independentista, socialista e antipatriarcal.
General Information

HORÁRIO DE ABERTURA

Terças, Quartas, Quintas e Sextas, de 20h a feche, 23h aprox.

Sábados, de 21h a feche, 24h aprox.

7

Produtos

– Dança Tradicional: Segundas-feiras. 19h

– Clarinete: Segundas-feiras. 20h30

– Catalám: Terças-feiras. 20h

– Ukelele: Quartas-feiras. 20h30

– Guitarra: Quintas-feiras. 18h30

– Pandeireta (iniciaçom): Quintas. 18h30 a 20h

– Pandeireta (avançado): Quintas. 20h a 22h

– Português: Sextas-feiras. 20h a 21h30

 3

Esta entidade nasce com a ideia de integrar todas aquelas pessoas que, de forma aberta, se quigerem implicar na dinamizaçom deste espaço alternativo, que tem por fim organizar iniciativas que pulem pola transformaçom da realidade em que nos desenvolvemos. Somos um projeto enquadrado em parámetros revolucionários da esquerda soberanista.

O Gomes Gaioso é um espaço plural e de confluência para as/os que luitamos pola Independência da Galiza; polo Socialismo como única alternativa possível às condiçons materias e valores que o capitalismo gera; pola aboliçom do patriarcado e a clara igualdade entre mulheres e homens; por umha democracia real, popular e participativa; polo monolingüismo social e reintegracionismo lingüístico para atingir a plena normalizaçom lingüística e galeguizaçom do País; polo compromisso com o meio ambiente; por umha cultura democrática e popular de e para nós próprias/os à margem dos meios de comunicaçom e das instituiçons; pola aboliçom dos exércitos ao serviço do Capital; por umha sexualidade livre; pola solidariedade internacionalista com aqueles povos que como o nosso luitam pola sua liberdade e emancipaçom.

6

Apostamos na autogestom do nosso centro social, sem negar os referentes políticos globais dos movimentos sociais, imprescindíveis para transformar a realidade que queremos combater.

A tomada de decisons funciona de um jeito horizontal e democrático para convertermos o Centro num espaço livre de opressons de todo o tipo como as que podamos encontrar no centro de trabalho, no centro de ensino, na morada, etc.; apostamos em converter o nosso centro em mais um ponto de referência para a cultura operária e transgressora; num espaço ao serviço dos movimentos sociais da comarca da Corunha; convertê-lo num espaço para a criaçom de um lazer alternativo, contrário ao modelo alienante e destrutivo que o Capitalismo nos impom, convertê-lo, em definitivo, num espaço de luita ao serviço exclussivo do Povo Trabalhador Galego, das mulheres e da juventude.

2

Apostamos na integraçom na luitas dos problemas do bairro e da Comarca para contribuir desde o imediato a transformar a realidade que queremos mudar.

Apostamos na coordenaçom dos centros sociais da Galiza que trabalham por umha naçom livre, vermelha e lilás de forma nom excluinte com quem esteja polo mesmo projeto.

Corunha, Galiza, 25 de abril de 2007

4

¿Te gusta este artículo? ¡Compártelo!

Deja un comentario

Tu dirección de correo electrónico no será publicada. Los campos necesarios están marcados *